HOME

HOME

 Editorial

 Mural

 Radar Nacional

SERVIÇOS

 Carreira

 Economia e Finanças

 Legislação

 Política

 Seus Direitos

GERAL

 Acontece

 Beleza

 Comportamento

 Decoração

 Destaques do Mês

 Ecologia

 Educação

 Entretenimento

 Esotérico

 Galeria de Arte

 Moda

 Muito Sabor

 Pets

 Perfil

 Saúde

 Seguros

 Turismo

 Variedades

 Você Sabia

INFORMAÇÕES

 Quem Somos

 Colaboradores 

 Comercial 

 Fale Conosco

 Pesquisa

 

 Edição de Abril de 2014



Dicas para adquirir e manter objetos de prata sempre novos

 

Tradição e sofisticação são os pilares de uma decoração elaborada a base de objetos de prata. Reconhecida há mais de 120 anos quando o assunto são artigos de prata, a Wolff, elaborou uma lista com três dicas que vão auxiliar desde o momento da compra até a manutenção das peças que passam de geração para geração.

 

 

Sobre a prata:

Ao adquirir um objeto de prata deve se observar e questionar ao vendedor a espessura da peça, quantidade de mícrons, acabamento perceptível, a indicação neste caso é o polimento espelhado, e a produção do produto.

 

Faça a escolha certa:

É importante pesquisar a qualidade na fabricação do produto. A sugestão é escolher uma marca que seja tradicional e especializada no ramo, como a Wolff, que proporciona o mix de tecnologia de ponta ao cuidado e o toque habilidoso do artesão desenvolvendo peças elegantes e antenadas com as principais tendências do setor de decoração.

 

Manutenção: como se fosse à primeira vez

Para que a peça possa ser usada por várias gerações com aparência de recém comprada é fundamental alguns cuidados:

 

Para Servir: Recomenda-se lavar manualmente e suavemente com água morna, detergente neutro, esponja macia e secar imediatamente com pano macio.

 

Lustrar: Utilize luvas, algodão e um polidor de prata. Limpe suavemente com movimentos de vai e vem, não faça movimentos circulares e finalize com algodão seco.

 

Armazenar:  Guarde o objeto em um saco transparente, limpo, sem furos, sem presença de ar, outra opção é o plástico filme.

Todos os produtos Wolff são acompanhados por uma bela embalagem especialmente desenvolvida para o armazenamento das peças.

 

Fonte: Rojemac Presentes

 

Pequenos detalhes que fazem toda diferença na decoração de Outono

Tons de laranja, marrom e azul marinho são perfeitos para a estação

 

A contagem regressiva para o final do verão já se inicia, principalmente quando a época de férias já chega ao fim.  Nos locais onde há alteração de horário de verão, aquele solzinho até mais tarde também já se despede. Mas, a vida continua e será bem-vinda a nova estação, Outono.  Nesse período do ano as noites são mais longas que o dia, a temperatura pode sofrer alterações bruscas, a umidade do ar diminui e a natureza muda, as folhas das árvores variam a tonalidade e caem.

Essa transição entre o calor é o frio é agradável para aqueles que não gostam do estremo frio ou calor, mas preferem um meio termo.  Na moda, esta época se caracteriza pela maior presença de cores escuras, tons que se contrapõem com o estilo alegre do verão. Porém, isso não deve ser uma regra. Tanto na moda como na decoração é possível mesclar cores vivas com as mais sóbrias. A tendência de cores para 2014 pede o uso de  tons fechados, com nuances como azul e verde, nem que seja em detalhes da decoração.

Nas estações mais frias, também é recomendável utilizar as cores que dão uma sensação térmica de mais aconchego como tons de laranja, marrom e azul marinho.  Porém é possível equilibrar também com branco e bege claro para não deixar o ambiente muito pesado.

Quem gosta de renovar a cada estação, reformar ou comprar móveis e objetos novos para decoração procura   buscar  equilíbrio e harmonia para os ambientes. Fazer uma ligação entre os tons dos móveis com as cores e o acabamento da casa.

Nos objetos de decoração é permitido ousar mais, pois se cansar é mais fácil mudar. Já cortinas podem ser tons mais neutros, com tapetes e enxoval é possível trabalhar mais texturas, cores e tecidos diferentes, para dar um movimento.  O ambiente é o conjunto de tudo o que está dentro dos espaços como as cores, as texturas, os móveis e as transparências. O todo é que realmente dirá como será a atmosfera e não apenas uma parede ou um móvel separadamente.

 

Maria Claudia Luna



Números de fachadas: dicas de materiais e métodos de fixação

Além de identificar uma casa, os números podem servir também para decorar a fachada do imóvel e revelar um pouco do estilo e da personalidade de seus moradores.

 

Para projetos modernos, os números em aço inox e acrílico são boas opções. Explorar a iluminação da fachada para dar mais destaque ao número, melhora ainda mais o resultado.

Um cuidado importante com estes tipos de materiais é que são alvos de roubo, devido ao valor dos metais. Portanto leve em consideração a vulnerabilidade do local.

Números em madeira só devem ser utilizados quando estiver protegida das intempéries.

Para instalar, primeiramente, certifique-se de que o local de aplicação está corretamente nivelado. Lixe muito bem e não esqueça de usar luvas e máscara para evitar o pó. Se houver graxa ou oleosidade, será preciso limpar com álcool ou acetona. Atenção: não use gasolina nem querosene!

Escolha um adesivo recomendado para locais externos, isso é muito importante.

Uma boa dica é o Cascola Monta & Fixa PL600. Ele resiste a temperaturas entre -20oC e 80oC, e possui a força necessária para que o número fique sempre firme no lugar, mesmo que seja uma placa pesada, como as de fibrocimento.

Ele deve ser aplicado nos números em cordões, se a peça for grande, ou em pontos, se for pequena. Cole o número na fachada no mesmo instante e pressione com firmeza. Você terá 5 minutos para fazer ajustes, após esse tempo começa o processo de secagem. O agarre é imediato, ou seja, assim que você posicionar o número, ele já vai ficar no lugar.

O uso de um adesivo como o Cascola Monta & Fixa PL 600 traz outras vantagens neste tipo de aplicação:

 

 

No caso de números de metal, permite substituir o método tradicional de fixação por parafusos, o que evita ter que furar a fachada. Além de economizar todo o trabalho de furação em si, também facilita uma eventual remoção quando desejada.

É também uma boa alternativa para argamassa e cimento. Para o uso profissional, simplifica bastante a quantidade de material a ser transportado. Em vez de ter que carregar a furadeira e sacos, recipiente para misturar e etc, basta carregar um tubo, pistola aplicadora, lixa, luvas e máscara. O tempo de trabalho é muito menor, o que permite executar mais serviços em um único dia. Sem falar que tudo é muito limpo, sem a sujeira que a mistura de uma argamassa ou cimento produz. Este adesivo da Cascola não escorre, você só precisa limpar o excesso com um pouco de álcool, logo após a aplicação.

Finalmente, existe também a questão de eliminar o desperdício. Um único tubo de adesivo pode ser usado em várias aplicações, e guardado por um bom tempo.

Ele pode ser utilizado nos seguintes tipos de materiais: metal, borracha, porcelana, madeira, concreto, vidro e plásticos, exceto aqueles à base de Polietileno, Polipropileno, Silicone e PTFE (resina antiaderente). Além da colagem em números de fachadas, também pode ser usado em adesão de rodapés, guarnições florões, arandelas, peças decorativas, azulejos, ladrilhos, molduras, conduites, canaletas, cantoneiras, maquetes, mosaicos etc. Não é recomendado para colagens de espelhos, Isopor® e aplicações com imersão permanente em água.

 

Fonte: Blog Cascola


Closet dos sonhos

Nada como um espaço bem organizado para guardar as roupas e acessórios. Na hora de projetar o closet, é bom contar com a ajuda de um profissional e uma boa loja para deixar esse cantinho mais prático e funcional

 

Foto: Daniel MansurSe antes, quando dependiam de seus maridos, as mulheres já consumiam muitos produtos de moda e beleza, imagine agora que elas estão mais inseridas do que nunca no mercado de trabalho. Segundo dados do Ministério do Trabalho, os empregos com carteira assinada para elas subiram 5,93% somente em 2013. O salário também aumentou. Um das consequências disso é o aumento do poder de compra feminino. E isso inclui aquisição de roupas, sapatos e acessórios.

Mas é claro que, com o tempo, os vários produtos adquiridos têm que ir para algum lugar. E, para uma grande parte das mulheres, esse lugar perfeito, seria um closet organizado, prático e funcional. Mas como especificar o móvel ideal, que atenda todas essas características?

A arquiteta Adriana Morávia conta que antes de planejar o closet é preciso bater um longo papo com a cliente: “É preciso pesquisar o que ela precisa guardar, além dos itens básicos. Tem clientes mais esportivas, por isso, possuem muitos tênis e roupas de ginástica que demandam mais gavetas e sapateiras. Outras preferem as roupas penduradas em cabides no lugar das prateleiras. Já coleções de relógios e óculos pedem gavetas finas com divisões em acrílico para organizar. Cada uma tem necessidades diferentes”.

Para a designer de interiores Iara Santos, o que não pode faltar em um closet são espaços bem divididos. “É necessário repartições para vestidos longos, curtos e outras roupas que ficam penduradas, além de compartimentos para aquelas roupas que ficam dobradas. Muitas gavetas com diferentes alturas e com divisões internas para bijuterias também deve ser pensadas. Sapateiras com alturas médias para sapatos de salto e rasteirinhas, cabideiros diversos para saias e blusas e, além disso, um banquinho para sentar e colocar o sapato de forma confortável é indispensável. Enfim, são muitos itens”, analisa a profissional.

Outro cuidado que se deve ter na hora de projetar o closet é com os materiais utilizados na sua criação. “A Dell Anno Savassi utiliza MDF devido à sua facilidade de limpeza e seu variado padrão de acabamento. Fazemos composições com lacas, espelhos e vidros nos detalhes, nas prateleiras e frentes de gavetas. Também utilizamos os fechamentos com os vidros especiais Cinex e espelhos refletentes que dão uma leve transparência ao móvel sem mostrar todo o seu interior”, explica Érika Medeiro, diretora comercial da Dell Anno Savassi.

 Para garantir a sofisticação e elegância aos closets, alguns detalhes se tornam indispensáveis. “Cabideiros revestidos, acessórios exclusivos e iluminação com leds para destacar os materiais, acabamentos e facilitar a visualização das peças. Tudo isso garante a esse móvel, além da funcionalidade, muito requinte”, finaliza Érika Medeiros.  

 

Neste closet, projetado pela designer de interiores Iara Santos, há repartições para roupas penduradas, roupas dobradas, muitas gavetas com diferentes alturas e com divisões internas para bijuterias. Além disso, a profissional especificou no espaço um pufe, aparador, espelho e um felpudo tapete para criar um espaço ideal para a moça se arrumar confortavelmente.   

 

Foto: Divulgação      Foto: Divulgação

 

Segundo Érika Medeiros, diretora comercial da Dell Anno Savassi, os acabamentos mais claros são os mais requisitados para esse tipo de móvel já que facilitam a visualização da roupa, das cores, além de ser mais fácil a limpeza e manutenção

 Foto: Divulgação

Iluminação com leds é uma das facilidades que os closets executados pela Dell Anno Savassi possui.


O cantinho de brincar ideal para as crianças

 

Quarto de brinquedos, cantinho da bagunça, saleta das crianças, enfim, cada família dá um nome para o ambiente destinado aos pequenos. Muitos pais ficam incomodados com os brinquedos espalhados no quarto de dormir e na sala de estar, e optam em destinar um cômodo ou espaço da casa para que as crianças possam se divertir a vontade.

Segundo a arquiteta Andréa Parreira toda a montagem do ambiente depende da proposta que os pais querem seguir e também da idade dos filhos, mas há itens indispensáveis para tornar o local mais aconchegante e confortável. “O tapete colorido emborrachado com desenhos ou formas que estimulem o aprendizado e a imaginação é importante na composição do ambiente, além de serem fáceis de limpar”, afirma Andréa.

 A presença de móveis no local destaca-se pela organização e estética do ambiente, mesmo que sendo opcionais. No futuro, possivelmente poderão ser reaproveitados, transformando o espaço de brincar em uma sala de estudos para os adolescentes.

Os pufes e futtons em formatos lúdicos acrescentam mais fantasia nas brincadeiras da meninada e, claro, vão muito além de apenas decoração. “Os pufes e futtons devem ser confortáveis e macios, pois quando as crianças se cansarem poderão cochilar e recuperar as energias”, explica a arquiteta.

Para desenvolver um projeto destinado às crianças, a contratação de um profissional que ajude na montagem e desenvolvimento deste espaço é fundamental para garantir o conforto e a diversão dos pequenos e a tranquilidade dos pais.

 

 

 

 

 

 

 

 

Andréa Parreira - Formada pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, a arquiteta Andréa Parreira (CREA/SP nº 5060352936) começou a sua carreira durante a graduação, há 24 anos, com ampla atuação no mercado da construção civil, de arquitetura residencial e decoração de interiores, criando, inclusive, alguns móveis personalizados para seus clientes. www.andreaparreira.com.br

 

 


Jardins verticais em pedra: porque e como fazer

Busque alternativas sustentáveis como o uso de pedras artificiais decorativas ou revestimentos ecológicos

 

Para quem mora em grandes cidades, basta dar uma olhada em volta para ver que a paisagem não muda muito dos tons de cinza e grandes prédios e fachadas. Isso, somado a uma grande quantidade de carros e uma consequente poluição, é o resultado ideal para uma vida menos saudável.

Porém, pensar em alternativas mais verdes e sustentáveis é - ao mesmo tempo - uma solução e um problema, especialmente se for pensar no espaço e tempo disponíveis para isso. Recentemente vemos opções interessantes serem adotadas. É o caso dos jardins verticais, adotados por diversas pessoas e espaços, sejam eles residenciais ou comerciais.

Para Ricardo Botelho, diretor da Western Pools, a construção desse tipo de intervenção vem, principalmente, dessa necessidade das pessoas em agregar mais natureza e qualidade de vida à sua rotina e, se antes era vista somente em casas, hoje estão ganhando cada vez mais espaço e fazem parte inclusive de planos de instituições e prefeituras por cidades – literalmente – mais verdes.

 “Segundo paisagistas, a ideia do jardim vertical surgiu pela falta de espaço e também como opção para suavizar a quantidade de concreto. Inspiradas nos jardins japoneses – que têm muitos problemas com a falta de espaço e driblam isso com alternativas criativas – o uso de jardins verticais traz uma sensação de paz, ligação com a natureza e também de uma ampliação do espaço existente”, afirma Botelho.

Além de todas as vantagens para a saúde e ao ambiente que os jardins verticais trazem, são ainda relativamente simples de se instalar e manter, bastando ter um pouco de disciplina e observância de algumas regras e cuidados a se tomar, especialmente na preparação do espaço (e muitas dessas regras valem para qualquer tipo de jardim):

 

1. Iluminação: assim como para qualquer planta ou jardim, a primeira coisa a se observar é sempre a quantidade de luz que o local irá receber. É a partir daí que as espécies são escolhidas, garantindo que se desenvolvam bem.

 

2. Água: cada espécie deve receber uma quantidade de água, então busque colocar as que tenham necessidades similares sempre juntas. Além disso, considerar um projeto de irrigação é uma excelente opção, pois garante não apenas o bem estar das plantas, como também ajuda na economia de água, evitando o desperdício.

 

3. Impermeabilização: devido à incidência constante de água é importante não apenas fazer uma impermeabilização extra na parede que o jardim será instalado, mas utilizar acessórios para jardins feitos especialmente com esse intuito, como pedras artificiais com nichos para plantas. Esse tipo de material é previamente preparado para receber espécies e assim se comporta melhor com a irrigação e manutenção.

 

4. Materiais necessários: saber de onde vem cada material usado na instalação é importantíssimo. De nada adianta fazer um jardim vertical para trazer mais verde se esse for feito com árvores recém-cortadas ou com a remoção de pedras de rios. Busque fornecedores de materiais certificados e também alternativas sustentáveis como o uso de pedras artificiais decorativas ou revestimentos ecológicos.

 

Sobre as pedras artificiais

As pedras são formadas por meio de um processo de produção baseado em peças pré-moldadas à base de composto mineral (grout) de alta resistência. Por isso, é possível a reprodução de pedras obedecendo fielmente a textura, toque e aparência das naturais.

Possuem instalação fácil e rápida e são dez vezes mais leves que as naturais do mesmo tamanho, podendo ser aplicadas não somente em uma área aterrada, mas também sobre lajes e varandas de apartamentos, permitindo os mais diversos tipos de locais e empreendimentos.


 

Como fazer um jardim Zen em 10 passosComo fazer um jardim ZenComo fazer um jardim Zen em 10 passos

 

O jardim Zen como o conhecemos hoje tem as suas raízes no século XIII, mas os princípios que os orientam são tão verdadeiros atualmente como eram ontem. Criar um espaço destes, que se quer tranquilo e esteticamente agradável, é uma experiência tão serena e gratificante como é a sua própria manutenção.

O principal objetivo de um jardim Zen, ou “jardim seco”, é ser um local de meditação e de contemplação. Uma das suas grandes vantagens é que não precisa de muito espaço para criar um – pode ser no exterior da sua casa ou até no interior – o mais importante não é o seu tamanho, mas sim os elementos que o compõem. Na criação do seu primeiro jardim Zen há três aspectos essenciais a considerar: o espaço, a fluidez e a simplicidade.

O primeiro passo é decidir o local e o tamanho do seu jardim Zen, considerando o espaço que tem disponível e o tempo que terá para se dedicar a esta pequena maravilha da natureza. Pode disponibilizar uma parte do seu quintal ou começar por um jardim Zen miniatura que possa colocar em cima da sua secretária, por exemplo. Não se esqueça que o jardim Zen é, acima de tudo, um lugar de paz, por isso, se tiver crianças ou animais de estimação, considere bem a sua localização. Os passos a seguir serão os mesmos, embora a escalas diferentes.

A maioria dos elementos necessários para criar um jardim Zen pode ser adquirida em lojas de jardinagem, de bricolage e de ferragens. O que vai precisar para começar:

Madeira ou um recipiente grande

Pregos, parafusos ou cola para madeira

Ferramentas apropriadas

Material de proteção contra as ervas daninhas

Ancinho 

Areia, gravilha, rochas, pedras e outros elementos decorativos

Iluminação

Paciência

 

Utilizando os tamanhos de madeira adequados, crie o molde desejada para conter a areia e os outros elementos que irão compor o seu jardim Zen. Utilize as placas de madeira compridas para construir uma caixa suficientemente funda para acolher cerca de dez centímetros de areia. Depois de construído o molde – que pode ser quadrado, retangular ou octogonal – pode pintar ou envernizar a madeira para obter um acabamento mais perfeito. Se a ideia é ter um jardim Zen miniatura, pode construir o seu próprio molde em madeira ou escolher entre uma variedade de recipientes adequados. Se preferir um recipiente em vime, por exemplo, será necessário forrá-lo com um plástico para impedir que a areia se solte.

Os jardins Zen seduzem, principalmente, pela sua limpeza e linhas simples, por isso, se está a construir um no exterior, precisa de proteger este espaço contra as ervas daninhas. Para evitar que as ervas daninhas destruam o seu jardim, forre o molde com plástico preto, com várias camadas de jornais ou uma barreira própria contra ervas daninhas, que pode comprar em lojas especializadas.

Encha o recipiente com areia até cima, colocando uma boa camada no fundo. Utilizando o ancinho, distribua a areia uniformemente. Se quiser, pode juntar gravilha para dar uma maior consistência e equilíbrio à areia. Cada um dos elementos encontrados num jardim Zen tem o seu próprio simbolismo, sendo que a areia e a gravilha representam a água que, por sua vez, simboliza a paz e a tranquilidade da mente e do espírito.

As rochas são peças fulcrais num jardim Zen e simbolizam as montanhas como elemento predominante da natureza. A estas juntam-se pedras decorativas de cores, tamanhos e texturas variadas; pequenos troncos, com ou sem musgo; um elemento verde como uma planta ou um bonsai; estátuas, lanternas, pontes ou elementos com água. O próprio ancinho é muitas vezes uma peça que também decora o jardim. No fundo, pretende-se um cenário visualmente agradável, por isso, experimente com os diferentes elementos, sem encher demais o espaço. Um jardim minimalista vai acentuar a fluidez das linhas e dos objectos.

As rochas e as pedras ficam melhor se as submergir, parcialmente, na areia. Não as coloque no centro do recipiente, mas sim, mais para os lados. Diz-se que para ter sorte, deve utilizar um número de pedras impar, posicionando-as assimetricamente. Os budistas acreditam que cada pedra tem uma “face feliz”, ou seja, examine-as de cada ângulo para determinar o seu “melhor lado”. Tradicionalmente, os arranjos Zens são compostos por cinco grupos de três pedras cada. Faça experiências para ver como gosta mais e não se esqueça que a ideia é manter o jardim o mais simples possível.

As luzes e as sombras emprestam um ar muito peculiar e até misterioso aos jardins Zen, tornando possível a usufruição do espaço à noite. Pode adicionar alguns pontos de luz elétrica (as lâmpadas coloridas são uma opção interessante) ou velas, para um efeito visual espetacular, principalmente, debaixo das estrelas!

Com recurso ao ancinho “penteie” a areia, formando os mais diversos padrões: um desenho comprido e curvado representa águas agitadas, enquanto que as linhas retas simbolizam águas calmas. Varie, criando efeitos diversos na areia para poder acentuar diferentes partes do jardim ou para renovar o seu aspecto geral. Altere o seu visual as vezes que quiser!

Agora é só desfrutar do seu jardim Zen – perca-se na sua beleza, enquanto relaxa e medita. O próprio trabalho de manutenção e de experimentação é um poderoso anti-stressante e deve ser divertido. Pesquise e conheça outros jardins para se inspirar e obter novas ideias: adicione ou retire elementos quando quiser, altere os desenhos na areia, adapte o jardim ao seu estado de espírito. Bom proveito!

 

Fonte: www.omeujardim.com/


Lagos Ornamentais nos Projetos Paisagísticos

 

Os lagos ornamentais de pequeno e médio porte hoje são comumente requisitados como elementos integrantes aos projetos paisagísticos em busca da natureza, harmonia, prazer, equilíbrio visual e climático ou muitas vezes na busca de realizar um sonho ou desejo do cliente, e tal condição tem se apresentado como um desafio aos profissionais de paisagismo. Os conhecimentos básicos sobre aqüicultura, mecânica dos fluidos, sistemas de filtragem, plantas hidrofílicas, dimensionamento de equipamentos e elementos hidráulicos, biologia, entre outros, são requisitos necessários para o sucesso destes projetos.

Ao contrário do que se pode imaginar um lago pequeno ou de médio porte trazem mais desafios do que os grandes lagos que, via de regra, são mais estáveis, menos sensíveis a mudanças ambientais e a condição de "água cristalina" nem sempre é uma exigência. Existe uma grande preocupação futura por parte do cliente e do profissional responsável pelo projeto que o sonho de um lago cristalino povoado pelo colorido exuberante dos peixes não se transforme em um pesadelo verde turvo, com espuma e mau cheiro.

Algumas vezes esta mesma preocupação ou insegurança passa a ser a grande responsável por excluir o laguinho do projeto, frustrando todos os envolvidos no processo de criação e concepção. Isso sem mencionar os lagos que serão excluídos ou aterrados após anos de esforços de manutenção e investimento financeiro, por não alcançarem o propósito para os quais foram construídos. Tais situações podem realmente ocorrer quando o lago ornamental é encarado como um espelho d'água ou mesmo tratado como uma piscina.

É comum escutarmos que uma bomba d'água e um filtro de piscina farão a filtragem e oxigenação da água e isto seria tudo que um lago precisaria, porém este é o erro mais comum e rotineiro que se pode cometer. Como evitar tais situações? Como obter um lago equilibrado e pleno? Buscar orientação e conhecimento técnico específico é o melhor caminho, assim como a pesquisa em livros e sites especializados, expor o assunto aos profissionais segmentados ou até mesmo "hobbystas" bem sucedidos irão ajudar muito. Logicamente, lembrando que soluções aplicadas em determinados lagos nem sempre serão as soluções mais viáveis ou a "melhor" solução para o lago que temos em mente.

Um bom começo é ter em mente que um lago que abriga "vida" (sejam plantas, peixes ou répteis) passa a ser um sistema que tem seu próprio metabolismo em busca de um ponto de equilíbrio e se não oferecermos as condições favoráveis este ponto de equilíbrio dificilmente coincidirá com a situação que desejamos. O ideal é buscar este equilíbrio compondo pequenos micro-ambientes integrados pela circulação da água e "sem produtos químicos", até porque, normalmente, os produtos químicos quando não letais as diversas "vidas" necessárias ao lago, não passam de medidas paliativas ou emergenciais.

A pergunta que surge é: o maior "inimigo" do lago acaba sendo os seus próprios habitantes? Sim, podem vir a ser os principais inimigos, como podem vir a ser alguns dos "amigos" que trarão o equilíbrio ao sistema, pois a água acaba por sofrer alterações em sua "composição" principalmente em razão da matéria orgânica nela lançada. Por exemplo: quando temos um lago bem povoado por peixes, invariavelmente a maioria irá morrer se um sistema de filtragem não for providenciado ou estiver dimensionado de forma inadequada. Neste caso, os "inimigos" seriam as toxinas provindas dos próprios dejetos dos peixes (principalmente sua urina) e sobras de alimentos. Por outro lado, estes mesmos compostos (nitrogenados) é que irão manter os sistema de filtragem vivo.

Ainda como exemplo, não podemos esquecer a "força da mãe natureza": é o caso dos espelhos d'água que, mesmo sem plantas ou peixes, com o passar do tempo acabam ficando com a água verde (explosão de algas) e com 5 cm ou mais de sujeira acumulada no fundo. O mercado hoje oferece inúmeros equipamentos e filtros especializados e segmentados, além da alternativa de se desenvolver sistemas de filtragens ou de beneficiamento de água sob medida para o lago em questão. Diante de tantas opções o verdadeiro desafio acaba sendo identificar qual seria a melhor solução e qual o dimensionamento correto, de tal forma que não se crie nenhuma incompatibilidade entre os equipamentos escolhidos.

Seguem abaixo, de forma bem resumida e básica, os principais elementos necessários em um lago ornamental artificial "fechado". São eles:

Bomba d'água: responsável pela circulação da água durante as operações de filtragens. 
Bomba d'água secundária: responsável pela circulação de água para efeitos visuais no lago.
Sistema de filtragem principal: responsável em efetuar a filtragem mecânica (reter elementos em suspensão), biológica (processar os elementos provindos da matéria orgânica) e filtragem vegetal (formadas por plantas hidrofílicas concluindo o trabalho iniciado pelo filtro biológico).
Sistema de filtragem secundário: Filtro ultravioleta (normalmente utilizado para eliminação de algas, porém possui outras funções), filtragem química (composto normalmente de carvão ativado, sendo mais utilizado para eliminação de odores e elementos químicos indesejáveis). Estes filtros são utilizados apenas quando necessários. Os filtros acima (principal e secundários) podem ser individuais ou com várias fases de filtragem em um mesmo filtro. 
Captadores: pontos de captações distribuídos estrategicamente de tal forma que todas as partículas em suspensão ou decantadas no leito do lago (sujeiras) sejam levadas ao sistema de filtragem com o cuidado de não causar nenhum mal aos habitantes (em razão da sucção). 
Tubos, conexões e demais elementos hidráulicos: são responsáveis pela interligação hidráulica de todos os equipamentos e pelo controle operacional do sistema. Normalmente recomenda-se que sejam utilizados tubos com bitolas de no mínimo 50 mm (1 ½") evitando desta forma entupimentos e perda de carga hidráulica (o que eleva o consumo de energia elétrica).
Cascata: na maioria dos casos é apenas um opcional decorativo, é um erro pensar que ela é a maior responsável pela oxigenação da água e troca de gases.

No início, para quem desconhecia os tópicos do assunto, tudo isto parece ser meio complicado, porém as soluções na prática são simples, de fácil operação e manutenção, de pouco consumo de energia elétrica e proporcionam excelentes resultados, isto é, uma água cristalina e biologicamente equilibrada para os seres aquáticos. É bem verdade que optar por ter um lago no projeto é algo a mais para ser planejado e administrado, porém o seu propósito, sua perenidade, a satisfação do cliente e realização do próprio profissional envolvido certamente farão valer a pena este esforço extra.

 

Paulo R. Natsuo Del Mastro

Fonte: www.jardimdeflores.com.br/


Projeto Eu Amo Arte da Melitta ensina a fazer um lindo porta-relógios

Melitta apresenta técnica que transforma o filtro de papel em arte

 

O Projeto Eu Amo Arte da Melitta apresenta destinos inusitados para o filtro de papel e, neste mês, ensina uma técnica de revestimento que torna possível transformar caixas comuns em lindos porta-relógios ou mesmo em porta-acessórios para joias e gravatas.

Por meio de uma de uma vídeo-aula postada na fanpage da Melitta no Facebook (facebook.com.br/MelittaBrasil) e disponível no canal da marca no YouTube (www.youtube.com/melittabrasil), a Melitta mostra que, além de deter a melhor tecnologia para passar aquele cafezinho gostoso e cheiroso – graças à dupla costura e aos exclusivos microfuros dos seus filtros de papel –, também é responsável por gerar a melhor matéria-prima para a arte, porque as texturas sofisticadas são alcançadas naturalmente com os Filtros Melitta®.

Desde 2013, o Projeto Eu Amo Arte tem apresentado, por meio de uma parceria entre a Melitta e Rosely Ferraiol, artesã conhecida por utilizar o Filtro Melitta® usado como principal matéria-prima, maneiras de criar e confeccionar peças de decoração, que podem ser comercializadas, gerando uma renda alternativa com apenas um pouco de investimento, esforço e criatividade.

 

Passo a passo para produzir o porta-relógios:

 

Lista de materiais

- Caixa de MDF de 20 cm x 15cm

- Tinta preta à base de água

- Pincel chato para tinta

- Corante preto à base de água

- Cola branca

- Pincel chato para cola

- Filtro Melitta® usado

 

Modo de fazer

1 – Tire todo o pó de café do filtro usado, lave-o e deixe-o secar.

2 – Quando estiverem secos, faça rolinhos com os filtros de papel Melitta® e os mergulhe em um recipiente contendo o corante preto à base de água. Deixe os filtros absorvendo o corante durante 24 horas. Após esse período deixe os filtros reservados para secar.

3 – Com os filtros de papel Melitta® secos e com uma tonalidade meio acinzentada, retire as laterais dos filtros e picote o material com as próprias mãos.

4 – Pinte a caixa de MDF com a tinta preta à base de água para dar um melhor acabamento ao produto. Deixe-a secar.

5 – Dissolva a cola em um recipiente colocando dentro dele a mesma quantidade de água. Misture os líquidos.

6 – Com o pincel, passe cola nos pedaços de filtro picotados e os cole na caixa revestindo a toda, formando um mosaico e não deixando pedaços vazios.

7 – Com os pedaços de filtro de papel já colados passe uma demão de cola por cima deles para impermeabilizar a arte.


Dicas de decoração de residencial de alto padrão

 

Como decorar apartamentos amplos, de 130 e 157m2, sem exagerar e aproveitar todos os espaços de maneira funcional? Brookfield Incorporações e Anastassiadis Arquitetos criaram dois decorados, um moderno e outro contemporâneo e sofisticado, trazendo tendências da moda para dentro de casa, para famílias mais modernas e também para as mais tradicionais. Os projetos foram desenvolvidos para o lançamento do empreendimento residencial de alto padrão Caminhos da Lapa - Vanguarda, lançado no final de 2013.

 

Decorado 130m2

O objetivo foi criar espaços amplos e generosos com conexão entre ambientes. Usando tons de cinza, preto e branco, a decoração é moderna e mais arrojada.

 

 

O toque especial aparece nos pequenos detalhes coloridos, como a cafeteira vermelha na cozinha e o vaso laranja na estante do canto de leitura. Uma tendência nos novos imóveis, o apartamento tem sala ampliada (7,80m x 5,90m), cozinha americana e o uso de espelhos em lugares estratégicos para dar mais amplitude.

A área social é composta por diversos ambientes. Além do espaço de estar e de jantar, foi criado um canto de leitura aconchegante, com um recamier, que oferece conforto e charme ao espaço.

 

 

Há também um terraço gourmet com ligação independente para cozinha e sala. O painel verde dá um tom mais natural ao ambiente, ideal para momentos de lazer em família.

 

 

O living também possui uma área de home theater. A amplitude fica por conta do amplo sofá de 4m. O charme e a modernidade do ambiente ficam por conta do painel de couro no revestimento da parede.

 

 

Seguindo a linha, a suíte máster tem um papel de parede iluminado atrás da cama. O diferencial é o armário do closet, com uma extensão de mais de 6 metros. O espelho nas portas do armário ajuda a dar ainda mais amplitude ao espaço.

 

 

 

Pensado para uma menina no início da adolescência, a segunda suíte tem tons de branco, azul e um toque de amarelo. As tendências da moda são estendidas à decoração, misturando o floral do pêndulo com o losango do papel de parede.

 

Decorado de 157m2

O objetivo foi criar uma opção de decorado contemporâneo e sofisticado. Para isso, a paleta de cores inclui tons de branco, creme e caramelo.

 

 

O uso de painéis de madeira na sala de estar, terraço e sala de TV ajuda a manter o refinamento do projeto.

 

 

 

A busca na integração entre os espaços aparece na decoração. A separação entre a cozinha e sala de estar se dá por uma adega translúcida.

 

 

Pensado para uma menina de cerca de 8 anos, o quarto usa tons de branco e rosa, além de misturar as estampas dos papéis de parede – um de pássaros e outro com bolinhas – trazendo, novamente, tendência da moda para o ambiente residencial.

 

 

 

Outro diferencial no quarto da filha foi a utilização inteligente do espaço. Foi criado um módulo que une a cama e a bancada de trabalho. Dessa forma, cria-se uma brincadeira e a área livre aumenta.


Cinex volta ao passado e lança a porta vintage

 

    

 

 Decorar a casa com o estilo retrô já virou tendência. Para resgatar o ar clássico, romântico, com toque rústico, mas cheio de personalidade dos anos 20 aos 60, a Cinex lança a Porta Vintage.

Embora estejam disponíveis para os mais diversos ambientes é na cozinha que ela se destaca, trazendo requinte para a decoração. “Harmonizada com objetos e móveis modernos, o uso desta porta traz um belo resultado final, deixando o espaço charmoso e delicado. A Cinex está sempre atenta às necessidades do mercado e traz um leque de opções para melhor atender os diferentes estilos de clientes”, diz César Cini, presidente da Cinex.


Aprenda a fazer um chaveiro de tecido

 

Quer presentear uma amiga de forma original e criativa? Que tal fazer um chaveirinho artesanal em formato de coração? É um presente útil e cheio de charme. A artesã Áurea Almeida, do Ateliê Maria Flor em parceria com Loctite, ensina a fazê-lo em rápidos passos.

 

 

Materiais:

 

- Loctite Power Crystal

- Tecido

- Feltro

- Molde de coração

- Enchimento de lã acrílica

- Linha

- Agulha

- Chaton

- Argola de chaveiro

- Caneta

 

 

 

 

 

Passo a passo:

Risque o molde de coração no tecido e no feltro e recorte as duas partes.

Com linha e agulha, costure o tecido no feltro, deixando um pequeno espaço aberto para colocar o enchimento.

                 

 

Coloque o enchimento e termine de costurar.

 

Costure a argola do chaveiro na parte de cima do coração.

           

 

Usando Loctite Power Crystal, cole os chatons nos olhinhos da coruja.

 

Seu chaveiro está pronto para ser usado!


Edições Anteriores 

Mês: 

imprimir essa página

 

© 2003 - 2014 Jornal da Mulher. Todos os direitos reservados. All rights Reserved